15 de agosto de 2008

Imagem - Reflexo Nem Sempre Verdadeiro




Imagem não é nada, já dizia a velha propaganda daquele refrigerante... embora deva discordar que outro liquido qualquer possa realmente "matar" a sede senão a água...


Meu avô sempre dizia que a única coisa que a pessoa tem é o "nome", que por mais que se acumule bens na vida, o que realmente irá importar no final das contas é a forma como somos vistos, a forma como falam de nós. A nossa reputação nos precede. E nem adianta tentar dizer que não se importa pelo que os outros falam de nós, porque em verdade nos importamos sim! Aqueles que não se importam, na maioria das vezes se julgam superiores àqueles que dizem algo. É comum ouvir coisas do tipo: "Não ligue para o que falam "fulano", você é superior a isso..." ou, "Quem é "beltrano" para falar algo de mim?"... pois é... quem é, né? Mas acho que a pergunta certa seria, quem sou eu para pensar que o que outras pessoas falam não me abalam ou influenciam? Será que sou realmente tão superior aos outros ao ponto de me tornar inatingível?


Independente dos motivos que levam alguém a falar em prol ou contra nós, a verdade é que isso influência diretamente na forma como somos vistos, na maneira como nossa "imagem" é construída! Classificações como fofoqueiro, encrenqueiro, mentiroso e ladrão com certeza causam danos, às vezes irreversíveis dependendo da situação em que forem empregados.


Não existe uma formula exata para evitarmos que essas coisas aconteçam. Pessoas que gostam de conversar pelos "cotovelos" estão em todo lugar... não há como fugir disso. Existem várias leis de proteção a integridade moral, muitas vezes nos valemos delas para nos defender. Mas quando chega o ponto de recorrer a uma medida dessas é porque o caldo já entornou, e por mais que tenhamos razão, ficará ainda a mancha. O que é falado de mal causa alvoroço e estardalhaço, mas o que nos falam de bem... quase ninguém escuta.


Independente das relações humanas e da imagem de cada um, o que realmente me incomoda é a responsabilidade, ou melhor, a irresponsabilidade que muitas pessoas tem com a sua imagem. Um bom exemplo disso acontece agora com a chegada das eleições! Começam os comícios, promessas que não serão cumpridas, já ouvi até políticos prometerem realizar ações que, mesmo que se elejam, não conseguirão. Ações cabíveis apenas ao poder judiciário. Mas o povo em sua eterna alienação e, claro, na busca por esperança, acredita. O que torna impossível a mudança é que entendemos que "esperança" é um sinônimo de "esperar" ou melhor, esperar com fé. E por isso nos sentamos e esperamos com fé que aquela "imagem" política irá mudar alguma coisa. Ajudamos a construir aquela imagem... dizem que o retrato do povo são os seus representante legais. Talvez por isso eu odeie tirar foto.


Esperar com fé... é, talvez eu me sente na calçada na esperança que aconteça algo de novo em minha vida... mas creio que a única coisa mais provável seria que eu fosse atropelado. (Atualmente os veículos parecem preferir trafegar pela calçada.)


Ah! Existe ainda aquele tipo de pessoa, muito conhecida na regional aonde mora, detentora de uma imagem de bom cidadão, trabalhador, honesto que costuma participar amplamente nas campanhas de determinados partidos. Novamente na esperança (vide: "esperar sentado e com fé!") de estar favorecendo a comunidade, emprestam sua "imagem" de pessoa integra para defender os interesses de outros (quando com sorte, ao invés de empréstimo, vendem a imagem). Vender a imagem é um bom negócio! Você trabalha a vida toda, constrói um "nome" e, depois... vende! Afinal de contas... Não existe responsabilidade! Não haverá qualquer retaliação a minha imagem caso o "produto" que a tenha estampado não der certo!


Não ficarei falando de política. Já "militei", conheço pessoas que me contaram histórias incríveis sobre os bastidores da falcatrua, vi presidente ser eleito por que tinha uma "imagem linda"! (bom, gosto é gosto...) na verdade... Acredito que mesmo que alguém tenha boas intenções ao ingressar na política, nada poderá fazer... Uma maçã dentro de uma sacola de outras frutas estragadas com certeza apodrecerá também. Tenho uma solução básica e simples para resolver esse problema... muito simples mesmo (boba até!)... é uma solução radical, mas isso não é assunto para agora...


Falando em venda de "imagens" sem responsabilidade... fico abismado como existem inúmeros bens de consumo com a imagem de pessoas públicas... Basta entrar no supermercado e está lá! Prateleiras lotadas de itens com fotos de algum artista consagrado. Fico me perguntando se realmente tal pessoa, famosa, praticamente uma celebridade utiliza mesmo aqueles produtos. Fico observando como é tão fácil endossar um produto... basta participar de alguma campanha publicitária, ter um bom agente, chegar a um acordo financeiro agradável, assinar um contrato... e pronto! Caso o produto seja uma farsa... ou pior, prejudique de alguma forma o consumidor, apenas a empresa fabricante daquele produto será responsável!! E nessa hora, cadê o "famoso"??


Vivemos num mundo de ídolos... a todo momento tietes correm desesperadas de um lado para outro atrás de uma caligrafia ordinária em um bloco de recados... se vangloriam em seus fã-clubes dos garranchos rabiscados em pedaços de papéis amontoados e exaltados como troféus.


É claro!! Não entendam-me mal!! É muito importante enaltecer o trabalho, a arte e a humanidade das pessoas! Ser fã do trabalho de alguém é muito saudável, muitas vezes a arte criada por alguém nos serve de fonte de inspiração!


Mas o que quero dizer é que, as pessoas que vendem suas imagens impulsionam as vendas desses produtos, Mas em suma, não possuem nenhuma responsabilidade. Sem perceberem ajudam a manter um mercado vicioso por endossarem coisas ou pessoas que, não fazem a menor idéia do que ou de quem sejam! Aonde está a responsabilidade destas pessoas com seus fãs?


Uma vez fui a um "showmicio" (ok, política só mais um pouquinho), Após o mesmo blá-blá-blá de sempre, o candidato trouxe ao palco improvisado uma dupla sertaneja. Bom, a dupla elogiou o político, abraçou! Falaram bastante sobre os "pobremas" que teriam solução... (e repetiram "pobremas" várias vezes...) e no final do pequeno discurso um dos cantores disse que se o "Fulano" fosse eleito prefeito, muita coisa iria mudar para melhor!! (um pequeno detalhe... o "fulano" era candidato a Deputado Estadual)... Bom, esse erro foi corrigido minutos depois da gafe, mas na ocasião, não me espantei com o português bem falado da dupla, nem com a ignorância que demonstraram não apenas ao errarem o cargo do candidato, mas também por serem evasivos sobre os tais "pobremas" da região... afinal de contas, eles não estavam ali para discursar... e sim para endossar a candidatura... e foi isso que fizeram. O que realmente me espantou foi como a campanha "publicitária" que este candidato fez o elegeu! A maioria do povo o elegeu pelo simples fato de que várias "imagens" o apoiaram...


Mas e quando acontece algum problema? Aonde estão estes “endossos”? Essas "imagens"? Talvez gastando o dinheiro ganho de seu "cachê"... Eu sei disso... Eu sei que isso acontece... programas de tv que recebem dinheiro para promover câmeras digitais de péssima qualidade, aonde o anunciante insiste em dizer que você pode até estar morto que mesmo assim não haverá restrições para que a venda seja feita (e muitas vezes ajudado pelo apresentador do programa!). Eu vejo isso acontecer... acredito que você também veja... Mas a grande maioria está cega a esses fatos.


Usamos o famoso detergente que limpa mesmo com uma gota diluída em 2 litros de água, as tintas de cabelo que tem a foto da dançarina das pernas grandes, a câmera campeã em reclamações na internet que custa quase o triplo de uma de marca famosa. O shampoo!! Ah, o shampoo... que promete mundos e fundos aos donos de cabelos crespos, endossado por alguém que, devido à etnia européia, com certeza nunca usou!! Usamos produtos endossados por pessoas que embora afirmem a eficácia de determinado item, não possuem outra função que não seja a de "alugar" sua credibilidade a produtos com o uso de sua imagem.


Será que usamos bem a nossa imagem? Será que realmente não nos importamos com a imagem que fazem de nós? E a imagem que passamos às pessoas que devemos algum respeito e ou educação? Ou no fim a propaganda é que está certa... afinal, "Imagem não é nada, sede é tudo..."

3 comentários:

Eu e Ela disse...

querido,

sobre o que falam de nós deve sempre ser avaliado, quem disse, o que e porque, tem os que deduzem a vida dos outros e falam, talvez pra não ter que falar da sua, serve como fuga. Tem os que gostam de inventar historias, por pura maldade, mas quando todos dizem a mesma coisa é hora de parar e reavaliar o comportamento.
Sou do tipo que não me importo muito, não por me julgar superior, mas por saber quem sou e o que quero, mesmo que isso vá de encontro ao que espera a maioria, aliás, adoro andar na contra mão dos normais, odeio ser normal, odeio ser igual, odeio regras, tem algumas das quais não podemos fugir, ou as acatamos ou não conseguimos viver em sociedade, mas todas as posso eu quebro.
Infelizmente o mundo valoriza a imagem, mas do que o carater.

Eu duvido que Xuxa use monange, eu pobre mortal não uso, muito perfume e pouco hidratante, voce acha que Stallone dirije um Gol???

Mas a maioria irá consumir, adquirir e se enaltecer por estar a altura de tais celebridades, a maioria quer status e não conforto e satisfação, a maioria quer ter aparencia de... ao inves de ser..


Adorei a reflexão.

Beijos

simoni boettger disse...

olá amigo,dizem que temos 3 personalidades...a que pensamos que temos,a que os outros pensam que temos...e a que verdadeiramente temos!pois é ...né?deve ser a eterna luta entre o bem e o mal...que vença o nosso melhor,sempre!

beijo magico!

†Drake† disse...

Ei Simoni!!

Sim é uma luta diaria! Mas é tão bom travar o "bom combate"!!

Obrigado pela visita!!